A CÂMARA

HISTÓRIA

Segundo a tradição, o povoamento do município de Reriutaba se processou por intermédio de Francisco de Oliveira Vasconcelos, que fez aquisição a um cessionário de três léguas onde situou uma fazenda chamada Santa Cruz. Sabe-se, entretanto, por sesmaria de 6 de dezembro de 1718, concedida a Domingos Ferreira Chaves, que o território do município foi devassado por elementos de procedência pernambucana e portuguesa os quais, efetivamente, deram início ao povoamento da região habitada pelos índios Reriús. Iniciaram-se, então, as plantações de milho, feijão, mandioca e algodão, bem como a criação de galináceos, gados, suínos, etc. Em fins do século XIX a povoação de Santa Cruz passou a conhecer maior progresso, face à construção da estação da Estrada de Ferro de Sobral. Novos moradores vieram juntar-se aos antigos, oriundos de lpu, Santa Quitéria, Massapê, Ubajara e outros municípios, atraídos pelo desenvolvimento agrícola e comercial que o núcleo então vinha oferecendo. Construída a igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em 1914, passou a sede de Paróquia em 13 de novembro de 1936, tendo como primeiro Vigário o Padre Francisco Olinto Leitão. O Decreto-lei n.º 1.114, de 30 de dezembro de 1943, deu ao município a denominação de Reriutaba.

Gentílico

reriutabense

Formação Administrativa

Elevado à categoria de município, com a denominação de Santa Cruz, pela Lei n.º 2.056, de 11-11-1922, sendo subordinado ao município de Santa Quitéria. Sede no núcleo de Santa Cruz. Pelo Decreto Estadual n.º 193, de 20-05-1931, é extinto o município e seu território voltou à condição de distrito do município de Santa Quitéria. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, Santa Cruz é distrito de Santa Quitéria. Elevado novamente à categoria de município, com a denominação de Santa Cruz, pela Lei n.º 1.540, de 03-05-1935, sendo desmembrado de Santa Quitéria e Ipu. Sede no antigo distrito de Santa Cruz. Constituído de 3 distritos: Santa Cruz, Sinimbu e Varjota. Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937 o município é constituído de 3 distritos: Santa Cruz, Sinumbu e Varjota. Pelo Decreto Estadual n.º 1.114, de 30-12-1943, o município de Santa Cruz passou a denominar-se Reriutaba e o distrito de Sinumbu passou a denominar-se Amanaiara. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 3 distritos: Rariutaba, Amanaiara e Varjota. Pela Lei Estadual n.º 1.153, de 22-11-1951, o município de Reriutaba passou a denominar-se Santa Cruz do Norte. Em divisão territorial datada de 1-VII-1955 o município já denominado Santa Cruz do Norte é constituído de 3 distritos: Santa Cruz do Norte, Amanaiara e Varjota. Pela Lei n.º 3.516, de 28-12-1956, o município de Santa Cruz do Norte volta a denominar-se Reriutaba. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município de Reriutaba é constituído de 3 distritos: Reriutaba, Amanaiara e Varjota. Pela Lei Estadual n.º 6.964, de 19-12-1963, desmembra-se do município de Reriutaba o distrito de Amanaiara, elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 31-XII-1963 o município é constituído de 2 distritos: Rariutaba e Varjota. Pela Lei Estadual n.º 8.339, de 14-12-1965, o município de Reriutaba adquiriu o extinto município de Amanaiara como distrito. Em divisão territorial datada de 31-XII-1968 o município é constituído de 3 distritos: Reriutaba, Amanaiara e Varjota. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1983. Pela Lei Estadual n.º 11.007, de 05-02-1985, é desmembrado do município de Reriutaba o distrito de Varjota, elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 18-VIII-1988 o município é constituído de 2 distritos: Reriutaba e Amanaiara. Pela Lei Municipal n.º 499, de 1989, é criado o distrito de Campo Lindo e anexado ao município de Reriutaba. Em divisão territorial datada de 1991, o município é constituído de 3 distritos: Reriutaba, Amanaiara e Campo Lindo. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Fonte

IBGE